Arsenal Kiev e a busca pelo retorno à elite

No dia 14 de julho de 1925, os operários da fábrica bélica de Kiev fundaram o Arsenal Kyiv. A equipe ainda ficaria 11 anos disputando os campeonatos amadores assim como todos os times da extinta União Soviética, pois o campeonato oficial organizado pela Federação Soviética de Futebol só começou em 1936. Na primeira participação em competições oficiais, o time dos operários de Kiev empatou em 3-3 com o já extinto “Bandeira Vermelha (Egoryevsk)” que mais tarde se chamaria Melanzhist Egoryevsk. Como somente uma vitória classificava um dos times, uma nova partida foi feita no mesmo dia, e o “Bandeira Vermelha” venceu por 3-0.

O Arsenal nunca foi um clube vencedor dentro de campo, e fora passou por momentos de dificuldade em sua história. O clube viveu diversas fases de fusão e separação com outros clubes incluindo o FC Boryspil (hoje jogando no campeonato regional de Kiev devido a falência do clube na temporada) e o CSKA Kiev que já não existe mais.

O TRISTE FIM DO ARSENAL KIEV

Após a 13ª rodada do campeonato ucraniano da temporada 2012/13, o  Arsenal Kyiv decretou falência. O clube era fundamental para muitos fãs da esquerda na Ucrânia e um clube que forneceu uma alternativa contra o Dínamo Kiev.

O anúncio de falência foi feito pelo diretor-geral do clube Viktor Golovka no site oficial do clube. O que deu errado? Arsenal estava lutando financeiramente por meses; Em Abril de 2013, o clube estava perto de se extinguir quando Vadim Rabinovich, então proprietário do clube perdeu o interesse e retirou seu financiamento.

 

"O Arsenal tem que viver"
“O Arsenal tem que viver”

 

A gestão foi encarregada de encontrar um novo proprietário e em abril 2013, Oleksandr Onyschenko, um milionário e atleta olímpico que competiu nos Jogos Olímpicos de 2012 na categoria do hipismo, foi nomeado como novo dono. Mas o mais importante era que Onyschenko era um membro da Partiya regiónov (Partido das Regiões) e acredita-se que o Arsenal seria um novo membro do círculo de clubes que foram especialmente protegidos pelo governo Yanukovich na tentativa de fortalecer o futebol no país após a Eurocopa 2012. Mas esse também perdeu o interesse pelo clube que hoje é presidido por Alex Kikireshko, empresário ucraniano bem conhecido e piloto de corridas de rally desde 2014.

 

O CAMINHO NEGRO DA PREMIER-LIHA

O campeonato ucraniano vem sofrendo muito nos últimos anos. Para explicar o que acontece no campeonato, temos de entender a economia do país que vem em queda já faz um certo tempo. O setor industrial do país fica concentrado em Donbass, região que sofre desde março de 2014 com uma guerra civil. O setor que mais gera lucro no país atualmente, é o do comércio. O governo mais gasta do que recebe, e o mesmo vem acontecendo com os clubes do país.

Os dois maiores clubes, Dínamo Kiev e Shakhtar Donetsk ainda conseguem se manter graças aos fundos que seus milionários donos colocam nos cofres do clube. A base também é essencial para a manutenção desses clubes, que vem aproveitando (muito bem) os jogadores que revelam. Em contrapartida, Dnipro e Metalist se encaminham para o mesmo fim do Arsenal Kiev, e vem perdendo muito espaço nos campeonatos que disputam.

A modesta torcida do Arsenal.
A modesta torcida do Arsenal.

No caso específico do Arsenal, o caso foi de um clube de pequeno porte que por uma gestão mal-feita, acabou falindo.

TORCIDA E IDEOLOGIA

A torcida do Arsenal Kiev nunca foi uma das mais presentes e atuantes nos estádios. Na última temporada na Premier-Liha, a media de público do Arsenal Kiev foi de apenas 2.710 pessoas por jogo.

Um dos símbolos utilizados pelos "ultras" que lutam contra o fascismo.
Um dos símbolos utilizados pelos “ultras” que lutam contra o fascismo.

De outra forma, a atuação ideológica e política dos torcedores é bem clara. A torcida do Arsenal Kiev utiliza das ideias antifascistas e de esquerda, justamente o oposto da outra equipe da cidade, o Dínamo Kiev, conhecido por ser ultranacionalista voltada para a direita e que muitas vezes possui atitudes racistas (tal qual o recente caso com um torcedor negro na arquibancada do Estádio Olímpico de Kiev no jogo contra o Chelsea, na Liga dos Campeões da temporada passada). De fato, o time da capital ucraniana tem mais importância política do que futebolística.

 

O RETORNO

Com um elenco modesto, o clube tenta voltar para a primeira divisão na próxima temporada. Depois de falir, o Arsenal foi jogar a 5ª divisão (Regional de Kiev), o que equivale ao futebol amador. Depois de vencer essa etapa, a equipe da capital rumou direto para a 3ª divisão após a Federação Ucraniana de Futebol reconhecer o clube como um time profissional novamente. Também conseguiu a vaga para a segunda divisão, e agora busca o retorno para a elite nacional.

Elenco do Arsenal na estreia da segundona ucraniana 2016/17.
Elenco do Arsenal na estreia da segundona ucraniana 2016/17.

 

Com um elenco muito modesto, os “canhoneiros” lutarão para fazer frente com os grandes ucranianos nos próximos anos, mas pra isso tem que matar um leão a cada rodada na Persha-Liha (segunda divisão ucraniana). Será que eles conseguirão o tão esperado retorno à elite?

Posted by Giovanni Chacon

Amante do futebol em geral. Fundador do Nos Acréscimos e comentarista na Rádio Jovem Pan AM - São Paulo. Estudante do primeiro ano de jornalismo.