FC Hansa: um clube, uma paixão

Durante grande parte da guerra fria, a Alemanha foi dividida entre ocidente e oriente, um clássico exemplo de domínio dos vitoriosos sobre os alemães após a II Guerra Mundial. Na parte comunista, os clubes de futebol não obtiveram tanto sucesso quanto seus irmãos da parte ocidental, e isso ficava claro quando as seleções jogavam.

Atualmente, o futebol alemão (já reunificado), vive seu melhor momento pós queda do muro de Berlim. Com boa técnica e ótima administração, a Alemanha conquistou a última Copa do Mundo com uma atuação memorável, e quem não se lembra do 7 a 1? Porém, ao analisarmos a Bundesliga atual, percebemos que não há nenhum time da antiga Alemanha Oriental. Recentemente, ao receber investimento da Red Bull, o RB Leipzig virou um clube com potencial de ser grande em breve, porém, ainda habita a 2ª divisão.

Screenshot_13

Na história, o clube que obteve melhor desempenho foi o FC Hansa Rostock, porém a última participação do clube na primeira divisão alemã foi na temporada 2007/08. Hoje, o clube não conta com brasileiros em seu elenco e amarga a disputa da 3.Liga (3ª divisão alemã).

Contudo, mesmo após essa queda vertiginosa, a torcida ainda lota a DKB-Arena de 29.000 lugares em quase todas as partidas. E ainda tem torcedor do FC Hansa aqui no Brasil. É o caso de Bruno, fã do clube de Rostock, que conversou com o Nos Acréscimos:

NosAréscimos.com.br (Giovanni Chacon): O que te fez ser um torcedor de um time que não possui muita visibilidade fora da Alemanha?

Bruno: As praias ficam somente na região do norte na antiga Alemanha Oriental e a maior cidade desta região é Rostock. Na minha infância, eu sempre fiquei nas férias de verão (8 semanas entre junho e agosto) lá porque minha tia morou em Rostock. Sempre gostei assistir futebol na TV e com 6 anos meu pai me levou pela primeira vez no estádio. Era um jogo do Hansa Rostock e gostei muito. Como na minha região não teve um time grande, comecei a torcer a partir desta data pelo Hansa. Apesar de não ser muito conhecido no Brasil, Hansa é muito respeitado na Alemanha porque foi campeão no ultimo ano da existência da Liga (1991) e no mesmo ano ganhou ainda a Copa da Alemanha Oriental, jogando muitos anos na Bundesliga.

NA: Você se identifica com a apaixonada torcida do FC Hansa em quais aspectos?

B: As torcidas do Hansa são conhecidas na Alemanha desde muitos anos como uma das mais apaixonadas do pais inteiro porque eles fazem muito barulho no estádio e são sempre muito numerosas jogando fora de casa. Eles cantam o jogo inteiro. Como a região do Rostock até hoje está sofrendo bastante com o desemprego, as pessoas de lá não tem muita alegria. Assim, o FC Hansa virou uma religião pelas torcidas.

NA: A torcida do Hansa Rostock é vista como uma das que têm ligações com o neonazismo, queria que você comentasse sobre.

B: Isso é mais um fantasma da mídia estrangeira que problema real. A grande maioria dos clubes da Bundesliga tem algumas partes das torcidas com ligações ao neonazismo (Bayern Munique – Schickaria, Borussia Dortmund – Borussenfront, Hamburgo – Die Löwen, Hertha Berlim – Hertha-Frösche são alguns exemplos). Especialmente os clubes da antiga Alemanha Oriental tem a “fama” de ser neonazistas. Não da para negar o fato, mas também não é uma coisa perigosa. Eles não procuram negros ou estrangeiros para bater e muito menos matam eles. Mas eles xingaram AS VEZES jogadores negros do outro time ou tem bandeiras com símbolos proibidos. Varias vezes eles nem ligam para os jogadores negros do próprio time, eles simplesmente ignoram estes jogadores. A verdade é que todos neonazistas tentam se esconder no estádio ou ficar quieto para não chamar a atenção da polícia. As torcidas do Hansa não são mais ligados com o neonazismo que as torcidas dos outros clubes.

NA: Nas últimas temporadas, o Hansa Rostock frequenta a 3. Liga, se salvando no fim do campeonato passado, qual a sua expectativa para essa temporada? Ano que vem, na sua opinião, teremos o clássico contra o St. Pauli?

B: Hansa jogou muitos anos na 1º Liga, caiu para 2ª Liga e voltou para a Bundesliga. Depois começou a caída do clube porque teve grandes problemas financeiros. Nas últimas temporadas, lutou sempre para não cair na quarta divisão e conseguiu se salvar somente nos últimos jogos. Infelizmente, o clube precisa gastar muito dinheiro para pagar multas por causa do comportamento das torcidas organizadas, porque elas usam sinalizadores e bombas fumíferas nos estádios e isso é proibido na Alemanha. Estes acontecimentos assustam prováveis patrocinadores e assim o clube perde muito dinheiro, o qual poderia comprar jogadores melhores. Como não pode ter melhores jogadores, consequentemente não vai ganhar muitos jogos. Se o time não ganha não vem muito público e isso traz pouco dinheiro para o clube… Assim é muito difícil para o Hansa sair desta situação e cada ano mais as pessoas ligadas com o clube perdem a paciência. Eu acho que esta temporada vai ser muito difícil para evitar o rebaixamento devido às enormes brigas na direção. Infelizmente o Hansa não vai subir para a segunda divisão nos próximos anos por causa destes problemas. O grande rival St. Pauli está jogando na 2ª Liga e está atualmente com chances de subir para a Bundesliga. Assim, ambos os clubes só podem se enfrentar pela Copa da Alemanha nos próximos anos.


Se houvesse um investimento empresarial ou de grandes marcas nos clubes da “Alemanha Ocidental”, com certeza teríamos, à longo prazo, uma competição maior num campeonato dominado por basiscamente dois clubes. Enquanto isso, estaremos dependendo de assistir um futebol no qual já sabemos quem vai ganhar.

Posted by Giovanni Chacon

Amante do futebol em geral. Fundador do Nos Acréscimos e comentarista na Rádio Jovem Pan AM - São Paulo. Estudante do primeiro ano de jornalismo.