A história do Dérbi Eterno de Belgrado

O próximo sábado (04) nos reserva um grande clássico, que possui uma história rica e que vai além das quatro linhas. Estamos falando do maior clássico da Sérvia, que para a cidade de Belgrado, capital do País, estamos falando dos dois maiores vencedores do Campeonato Sérvio, Partizan x Estrela Vermelha (Crvena Zvezda).

Artigos dos dois times podem ser facilmente encontrados nas ruas (Foto: travelblog)

Para entender esse dérbi, temos de olhar para além do futebol. Temos que viajar no tempo, mais precisamente no fim da Segunda Guerra Mundial. O Estrela Vermelha teve como fundador o grupo da Aliança Comunista, chamado Aliança Unida da Juventude Antifascista. Já o Partizan foi criado com um apoio direto do então Exército Iugoslavo. Na região dos Bálcãs, que sempre foi marcada por muitas guerras e disputas territoriais, o futebol (que quase sempre esteve presente) foi uma peça chave para o alivio momentâneo da população diante de tanta violência e tristeza. Os clubes foram fundados no ano de 1945 e a explicação é básica: o Marechal Tito fez com que grande parte do futebol da região sucumbisse, acusando as equipes de colaboração com o Eixo, que era liderado pelos nazistas. O Estrela Vermelha surgiu como sucessor do antigo SK Jugoslávia, clube que era o mais popular do país. Já o Partizan, cujo nome se refere ao termo usado para se referir aos movimentos populares na Iugoslávia que lutaram contra os alemães, foi fundado como o clube do exército.

Foto de uma edição do Dérbi em seus primórdios.

A partir dessa fundação, a rivalidade acabou sendo levada à níveis extremos. Desde os primórdios, os torcedores do Estrela Vermelha sempre deixaram bem claros os seus valores e ideais antifascistas, sendo representantes da resistência em tempos sombrios que assolavam a Europa. Com isso, os torcedores se autodenominavam como “os heróis”. Já o Partizan, com a cor preta de origem militar em seu uniforme, fez com que seus torcedores fossem chamados de “os coveiros”, apelido esse que acabou virando alcunha para quem acompanha o clube.

Enquanto ainda existia a Iugoslávia, a rivalidade entre esses dois clubes era unida e expandida junto ao ódio aos clubes croatas. Uma espécie de “quadrangular do ódio” era formado entre Partizan, Estrela Vermelha, Dínamo Zagreb e Hajduk Split. Tal conflito que era sempre apoiado pelo governo sérvio, que usava o futebol como forma de implicar sua “superioridade” contra os croatas, que no caso tinham ideais separatistas. Com o fim da Iugoslávia em 1992, essa rivalidade foi se distanciando, agora que só se encontrariam nos torneios internacionais, caso se classificassem. Porém, quanto aos rivais de Belgrado, a rivalidade aumentou, na que agora eram os “donos” da Sérvia.

A violência é bem comum nesse clássico. Confrontos entre torcedores e polícia também são frequentes.

 

Mas, e o lado das quatro linhas?

Em 1947, tivemos a realização do primeiro Dérbi Eterno. O resultado foi um 4×3 para o Estrela, tal resultado acabou ditando o que seria essa rivalidade dentro de campo. Até hoje, “os heróis” sempre tiveram ampla vantagem, no confronto direto são 62 vitórias do Estrela contra 45 do Partizan, além dos 45 empates. Já nos títulos dos campeonatos nacionais (sérvio e iugoslavo), a disputa é mais acirrada. O Estrela Vermelha continua com vantagem, mas de apenas um título: são 27, contra 26 do rival. Os “heróis” ainda ostentam o título mais importante do futebol europeu, a UEFA Champions League da temporada 1990-91, onde venceram o Olympique de Marseille nos pênaltis, e a Copa Intercontinental daquele mesmo ano contra os chilenos do Colo-Colo. Uma vantagem dos “coveiros” é a de maior goleada do dérbi, um 7-1 feito na temporada de 1953-54.

O placar elástico é um dos maiores motivos de piada dos “coveiros”.
Único título continental de um clube sérvio.

Dentre muitos conflitos políticos, o clássico foi se estabelecendo e as duas equipes foram sempre se destacando independentemente de qual a época, Iugoslávia, Sérvia e Montenegro e a atual Sérvia. Hoje em dia vemos Partizan x Estrela como disparadamente os maiores times da Sérvia, e nesse Sábado, os dois estarão frente à frente. Na última oportunidade, o Partizan levou a melhor numa vitória por 2×1, no dia 17 de setembro de 2016.

Vindo de dois jogos sem vitórias contra o seu rival, o Estrela vem para o jogo como líder do campeonato e com 6 pontos de diferença para o próprio Partizan (vice-líder), e busca nos pés do português Hugo Vieira e do sérvio Sikimić (artilheiros do time com 7 gols cada), o caminho para a glória. Coso vençam, irão disparar rumo a mais um título do Campeonato Sérvio.

Já o Partizan tem o artilheiro do Campeonato, o brasileiro Leonardo, com 13 gols. Apesar já vir de 5 vitórias seguidas no torneio, tenta se recuperar de um triste ocorrido, porém normal no futebol sérvio. O caso de racismo com o brasileiro Everton Luiz, onde a torcida do Rad Belgrado fez gestos racistas e ainda estendeu uma bandeira com dizeres preconceituosos contra o meia de 28 anos.

A disputa entre as equipes é sempre acirrada. (Foto: mondo.rs)

Apesar de todas as cenas tristes, o futebol promete e a bola rola ás 14h (Brasília) no Stadion Crvena Zvezda, carinhosamente apelidado de “Marakana”, em homenagem ao palco mais importante do futebol brasileiro. É claro que na página do Nos Acréscimos no Facebook você fica sabendo de tudo que rolou no Dérbi Eterno de Belgrado.