Papo Rápido com Douglas Bacelar

Douglas Silva Bacelar é um futebolista brasileiro nascido em Iramaia, no estado da Bahia.

É um zagueiro em atividade pelo Dnipro Dnipropetrovsk, time ucraniano, vice-campeão da UEFA Europa League, com Douglas sendo titular durante toda a temporada.

Hoje conheceremos mais sobre o jogador em uma entrevista exclusiva para o Eurovisão.

Douglas em ação pelo Dnipro. Jogo das semi-finais da Europa League, contra a Napoli.
Douglas em ação na Europa League, primeiro jogo das semifinais contra a Napoli.

Eurovisão: Douglas, como e por que você escolheu jogar pelo Dnipro?

Douglas: Depois de ter feito uma boa temporada jogando pelo Vasco, recebi a proposta do Dnipro. Achei interessante e desafiadora. Resolvi aceitar.

EV: Como é a vida na Ucrânia? A pobreza no Leste Europeu é realmente extrema, como dizem? Há segurança? E a qualidade de vida?

DB: Aqui na Ucrânia conseguimos ter uma qualidade de vida muito boa. Em termos de segurança, nunca tive nenhum problema, mas em relação à pobreza, existe sim uma grande diferença social.

EV: Você sente saudades do Brasil?

DB: Sim, no Brasil estão minha família e amigos, então é normal sentir saudades.

EV: Como se adaptou ao país e ao clube em si?

DB: Precisei de algum tempo para me adaptar, foi uma mudança muito radical na minha vida. Felizmente, quando cheguei aqui na Ucrânia, tive jogadores brasileiros do meu time que me ajudaram muito no processo.

EV: Como te tratam com você sendo um estrangeiro? Há preconceito?

DB: As pessoas me tratam muito bem aqui e nunca sofri nenhum tipo de preconceito.

EV: Como é parar um jogador do calibre de Gonzalo Higuaín?

DB: Ele é um grande jogador, mas contei com a ajuda dos outros companheiros de time.

EV: Descreva o FC Dnipro.

DB: É um clube que vem crescendo muito nos últimos anos e que busca uma afirmação no cenário europeu do futebol.

EV: A torcida é fanática? Torcem pra times de outros países?

DB: A torcida é muito fanática e apaixonada pelo time, está sempre o acompanhando onde quer que vá.

EV: Qual sua relação com o Myron Markevych, técnico do clube?

DB: E uma relação normal, totalmente profissional.

EV: Se sente mais ídolo pelo Dnipro ou pelo Vasco?

DB: Ainda não me sinto ídolo por nenhuma das duas equipes.

EV: Sobre a cultura ucraniana: o que você aprendeu? Como eles vivem?

DB: Aprendi alguns costumes que eles têm, mas posso dizer que é um povo muito trabalhador, porém muito fechados.

EV: Qual foi seu momento mais marcante no dnipro?

DB: Com certeza a final da Liga Europa.

EV: Planos para o futuro?

DB: Ainda tenho mais 2 anos e meio de contrato pelo clube, mas pretendo um dia poder jogar numa liga maior e mais forte.


Espero que tenha gostado! 🙂

Posted by Luis Felipe Zaguini

Futebol é meu oxigênio.